20 questões sobre Educação Inclusiva

Educação Inclusiva

Questões sobre Educação Inclusiva

 

1. A perspectiva da educação inclusiva traz como premissa a prevalência de um único sistema educativo para todos, ou seja, a inclusão de

A) todo e qualquer tipo de deficiência ou alta habilidade, na escola de educação especial. B) todas as crianças com deficiências mentais e físicas, na escola de educação especial.

C) todas as crianças com deficiências ou necessidades educativas especiais, na escola regular.

D) crianças surdas e cegas na escola de educação especial, a partir do ensino obrigatório de Braille e da Língua de Sinais.

E) crianças com necessidades educativas especiais, em turmas de educação especial da escola regular.

———————————x———————-x————————————

Acerca das dimensões e dos princípios da educação inclusiva, julgue os itens subsequentes.

2. Os alunos com altas habilidades ou superdotação são considerados como público-alvo do atendimento educacional especializado.

C) Certo E) Errado

———————————x———————-x————————————

3. O atendimento educacional especializado pode ser realizado em instituições comunitárias ou confessionais e, nesses casos, pode ser substitutivo das classes comuns.

C) Certo E) Errado

———————————x———————-x————————————

4. Os alunos matriculados em classes comuns de ensino regular e que tiverem matrícula concomitante no atendimento educacional especializado não devem ser contabilizados duplamente no âmbito do FUNDEB.

C) Certo E) Errado

———————————x———————-x————————————

5. As singularidades dos educandos especiais devem ser respeitadas nos processos de avaliação, contudo o prazo para conclusão do ensino médio deve ser cumprido sem prorrogação.

C) Certo E) Errado

 

Participe do nosso Grupo de Estudos do WhatsappQuestões de Provas – VIIclique aqui

 

———————————x———————-x————————————

6. A elaboração e a execução do plano de atendimento educacional especializado constituem competência dos professores que atuam nesse programa, em articulação com os demais professores do ensino regular, as famílias e os demais serviços setoriais necessários a esse tipo de atendimento.

C) Certo E) Errado

———————————x———————-x————————————

7. Saviani afirma que, durante a década de 80, no período que ficou conhecido como de abertura democrática, emergiram no campo educacional as pedagogias contra-hegemônicas, dentre elas, encontra-se a

A) pedagogia dos excluídos.

B) educação inclusiva.

C) pedagogia da prática.

D) educação revolucionária.

E) pedagogia marxista.

———————————x———————-x————————————

8. Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial, cabe aos sistemas de ensino estabelecer normas para o funcionamento de suas escolas, a fim de que essas tenham as suficientes condições para elaborar seu projeto pedagógico e possam contar com professores capacitados e especializados. Pela Resolução CNE/CEB n.º 2/01, são considerados professores capacitados para atuar em classes comuns com alunos que apresentam necessidades educacionais especiais aqueles que comprovem que, em sua formação, de nível médio ou superior, foram incluídos conteúdos sobre educação especial adequados ao desenvolvimento de competências e valores para:

I. perceber as necessidades educacionais especiais dos alunos e valorizar a educação inclusiva; II. flexibilizar a ação pedagógica nas diferentes áreas de conhecimento de modo adequado às necessidades especiais de aprendizagem;

III. avaliar continuamente a eficácia do processo educativo para o atendimento de necessidades educacionais especiais;

IV. atuar em equipe, inclusive com professores especializados em educação especial.

É correto o que se afirma em

A) I e III, apenas.

B) II e III, apenas.

C) II e IV, apenas.

D) II, III e IV, apenas.

E) I, II, III e IV.

———————————x———————-x————————————

Estude por Vídeos Questões de Concursos do Pedagogia Concursos, clique aqui

Responda às questões com base no texto da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (2008).

9. A educação especial era fundamentada no conceito de normalidade/anormalidade, organizou-se tradicionalmente como atendimento educacional especializado substitutivo ao ensino comum, levando à criação de instituições especializadas, escolas especiais e classes especiais. Essa organização, fundamentada no conceito de normalidade/ anormalidade,

A) contribuía efetivamente com o papel da escola para desenvolver os valores essenciais ao convívio humano e, ao mesmo tempo, proporcionava oportunidades que permitissem a inclusão de todos os alunos com deficiência no mundo da cultura, da ciência, da arte e do trabalho.

B) pressupunha que a educação devia ser ministrada com base nos princípios de igualdade de condições para o acesso e permanência da pessoa com deficiência, na escola, nos princípios de liberdade para aprender, no pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas e nos ideais de solidariedade humana.

C) favorecia o atendimento educacional especializado, respeitadas as singularidades de aprendizagem, ao aluno com deficiência, seu preparo para a prática escolar, o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

D) determinava formas de atendimento clínico terapêuticos fortemente ancorados nos testes psicométricos que definiam, por meio de diagnósticos, as práticas escolares para os alunos com deficiência.

E) garantia a elaboração de um currículo escolar funcional que valorizasse a ação do aluno, deslocando o papel do professor para que este se tornasse o agente de mobilização da capacidade intelectual de quem aprende.

———————————x———————-x————————————
10. O documento Política Nacional de Educação Especial, publicado em 1994, orientava o acesso às classes comuns do ensino regular àqueles que (…) possuem condições de acompanhar e desenvolver as atividades curriculares programadas do ensino comum, no mesmo ritmo que os alunos ditos normais. Ao reafirmar os pressupostos construídos a partir de padrões homogêneos de participação e aprendizagem, essa política

A) garantia ao aluno com deficiência uma formação no direito da igualdade, possibilitando desenvolver a capacidade de mobilizar um conjunto de recursos cognitivos, saberes, habilidades e informações.

B) previa ações conjuntas de diferentes parcerias e convênios com ONGS, instituições governamentais e não governamentais, visando a políticas comuns que atendessem a todos.

C) deixava de provocar uma reformulação das práticas educacionais de maneira que fossem valorizados os diferentes potenciais de aprendizagem no ensino comum, mantendo a responsabilidade da educação desses alunos exclusivamente no âmbito da educação especial.

D) assegurava aos alunos a participação em todas as possibilidades educacionais e sociais oferecidas pelo processo de escolarização, revelando-se um importante veículo de justiça social.

E) oferecia condições de desenvolvimento das habilidades cognitivas por meio de um currículo comum, que tinha ligação com um ambiente colaborativo e convívio social.

———————————x———————-x————————————

11. Na perspectiva da educação inclusiva, a educação especial passa a constituir a proposta pedagógica da escola, tendo seu público alvo definido. Nos casos que implicam em transtornos funcionais específicos, a educação especial atua de forma articulada com o ensino comum, orientando para o atendimento às necessidades educacionais especiais desses alunos. Pode-se dizer que, dentre os transtornos funcionais específicos, estão:

A) autismo, síndrome do espectro do autismo e psicose infantil.

B) dislexia, disortografia, disgrafia, discalculia, transtorno de atenção e hiperatividade.

C) transtornos globais de desenvolvimento e síndrome de Down.

D) dislexia, discalculia, disgrafia e síndrome de Rett.

E) transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/ superdotação.

———————————x———————-x————————————

12. O Censo Escolar/MEC/INEP, realizado anualmente em todas as escolas de educação básica, acompanha, na educação especial, indicadores de acesso à educação básica, matrícula na rede pública, inclusão nas classes comuns, oferta do atendimento educacional especializado, acessibilidade nos prédios escolares e o número de municípios e de escolas com matrícula de alunos com necessidades educacionais especiais. O Censo Escolar/2006 aponta que as escolas especializadas e as classes especiais tiveram, de matrículas, em sua totalidade, um aumento de

A) 5%.

B) 8%.

C) 10%.

D) 18%.

E) 28%.

———————————x———————-x————————————

13. Com base no resultado do Censo Escolar das matrículas de alunos com necessidades educacionais especiais na educação superior, entre 2003 e 2005, o número de alunos passou de 5 078 para 11 999 alunos. Este indicador aponta para um crescimento de 136% das matrículas. Apesar disso, essas informações refletem a

A) exclusão educacional e social, principalmente das pessoas com deficiência, salientando a necessidade de promover a inclusão e o fortalecimento das políticas de acessibilidade nas instituições de educação superior.

B) exclusão social, principalmente das pessoas com deficiência, salientando a necessidade de promover a inclusão e o fortalecimento das políticas de acessibilidade nas instituições de educação superior.

C) inclusão educacional e social, das pessoas com deficiência, a importância do fortalecimento das políticas públicas de acessibilidade nas instituições de educação superior.

D) inclusão social e a exclusão educacional, principalmente das pessoas com deficiência, salientando a necessidade de promover a inclusão e o fortalecimento das políticas de acessibilidade nas instituições de educação superior.

E) inclusão das pessoas com deficiência, a importância do fortalecimento das políticas públicas de acessibilidade nas instituições de educação superior e a necessidade de formação de professores.

———————————x———————-x————————————

14. Na concretização da escola inclusiva, é preciso assegurar à criança e ao adolescente, segundo o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente),

A) escolas especiais aos alunos portadores de deficiência e cursos de formação específica aos pais dos alunos.

B) professores especializados, com curso de pedagogia e especialização em educação especial.

C) salas de aula especiais, na escola regular de ensino, por meio de atendimento individualizado de acordo com a deficiência apresentada.

D) atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino.

———————————x———————-x————————————

15. A escola inclusiva baseia-se na defesa de princípios e valores éticos, nos ideais de cidadania, justiça e igualdade para todos. Para que se torne realidade, a escola precisa responder às necessidades dos alunos. Nesse sentido, é fundamental

A) uma transformação e democratização da educação que envolva o compromisso de pais, professores, especialistas, agentes do poder público e de outros atores sociais.

B) que a escola seja um espaço que receba todas as crianças indistintamente e possa se adaptar de tal forma que não precise de aparelhamento específico, professores especializados e nem reformas do espaço físico.

C) evitar discussões na sala de aula que possam evidenciar posicionamentos diferenciados, pois cada grupo deve garantir sua identidade podendo se defender da perda de suas características, mantendo-as intactas.

D) um currículo diferenciado para cada segmento da sociedade, adaptando os conteúdos escolares às especificidades dos alunos, sejam elas de fundo social, econômico, cultural, étnico, religioso, político, físico ou intelectual.

———————————x———————-x————————————

16. A escola inclusiva baseia-se na defesa de princípios e valores éticos, nos ideais de cidadania, justiça e igualdade para todos. Para que se torne realidade, a escola precisa responder às necessidades dos alunos. Nesse sentido, é fundamental

A) uma transformação e democratização da educação que envolva o compromisso de pais, professores, especialistas, agentes do poder público e de outros atores sociais.

B) que a escola seja um espaço que receba todas as crianças indistintamente e possa se adaptar de tal forma que não precise de aparelhamento específico, professores especializados e nem reformas do espaço físico.

C) evitar discussões na sala de aula que possam evidenciar posicionamentos diferenciados, pois cada grupo deve garantir sua identidade podendo se defender da perda de suas características, mantendo-as intactas.

D) um currículo diferenciado para cada segmento da sociedade, adaptando os conteúdos escolares às especificidades dos alunos, sejam elas de fundo social, econômico, cultural, étnico, religioso, político, físico ou intelectual.

———————————x———————-x————————————

17. Para que a democratização do acesso à educação tenha uma função realmente inclusiva é indispensável universalizar

A) a articulação teoria e prática no magistério.

B) a cultura local em seus aspectos pitorescos.

C) o acesso ao divertimento e ao lazer variado.

D) a relevância das aprendizagens escolares.

E) a constante reflexão sobre a prática individual.

———————————x———————-x————————————

Atenção: Em uma Hora de Trabalho Pedagógico Coletivo/HTPC, os professores discutiam que o direito de toda criança à educação implica uma série de desafios para os sistemas escolares e suas escolas. Uma professora recém-formada, que pela primeira vez estava atuando em sala de aula, pediu às colegas mais experientes que esclarecessem alguns aspectos que para ela não eram claros. Disse que iria colocar uma série de questões e que ficaria grata se pudesse contar com a resposta das colegas.

18. Eu escuto falar muito em escolas inclusivas. Há autores, como Sassaki, defensores da ideia de que a sociedade se adapte para incluir quem tem necessidades especiais e que essas pessoas, por sua vez, se preparem para assumir seus papéis na sociedade. Não seriam as pessoas com necessidades especiais que deveriam se adaptar à sociedade?

A) Não. Essas pessoas precisam sentir que são capazes, mesmo não o sendo.

B) Sim. A nossa Constituição, inclusive, não acha que devemos seguir essa linha.

C) Não. Pessoas com necessidades especiais não se adaptam à sociedade.

D) Sim. Supor o contrário é agir contra os interesses da maioria da sociedade.

E) Não. A inclusão dessas pessoas requer a eliminação de preconceitos sociais.

———————————x———————-x————————————

19. Regina é uma aluna de 13 anos, com Síndrome de Down, matriculada há pouco mais de três anos no ensino regular, na segunda série do Ensino Fundamental I. O fato de Regina não estar alfabetizada preocupa sua professora, que sugere à

A) família, com anuência da direção da escola, que transfira a aluna para uma escola especial, uma vez que ela não conseguiu se alfabetizar no decorrer dos três anos de escolarização.

B) professora especializada que trabalhe com a aluna conteúdos escolares da segunda série, desenvolvidos na sala de aula do ensino regular, a fim de que tenha um reforço escolar.

C) direção da escola e à família que a aluna deve ser promovida para a terceira série, mesmo sem estar alfabetizada, uma vez que o foco principal da educação inclusiva é a socialização de alunos com deficiência intelectual.

D) professora especializada que passem a desenvolver um trabalho conjunto, a fim de que a aluna possa permanecer na classe comum e contar com apoio especializado, buscando- se, assim, formas de garantir o desenvolvimento global da aluna.

E) equipe da escola que a aluna permaneça na terceira série, passando a frequentar a escola apenas três vezes por semana e com horário reduzido.

———————————x———————-x————————————

20. Jonas é um aluno de 14 anos matriculado na quarta série do Ensino Fundamental I, de uma escola regular, e que apresenta deficiência mental sem causa definida. Está, aos poucos, se desenvolvendo no processo de alfabetização; entretanto, apresenta comportamentos muito infantis e inadequados (como se levantar muitas vezes da carteira, fazer birra, pegar material dos colegas etc.), o que atrapalha a dinâmica da sala de aula.

Jonas demonstra baixa autoestima e muita insegurança. Nesse caso, a intervenção pedagógica mais adequada seria a professora

A) intensificar os conteúdos escolares, a fim de controlar os comportamentos infantis e inadequados do aluno.

B) aceitar os comportamentos do aluno, uma vez que, em função de sua deficiência mental, o mesmo não apresenta condições de melhorar nesse aspecto.

C) demonstrar ao aluno a crença nas suas potencialidades, propondo situações em que ele possa desenvolver independência e iniciativa, melhorando, assim, o conceito que tem de si mesmo.

D) reforçar a autoestima do aluno com elogios e aguardar seu amadurecimento natural, a fim de que seu desenvolvimento e potencial de aprendizagem acadêmica sejam atualizados.

E) investir na adequação comportamental do aluno, uma vez que este é o objetivo mais importante da educação inclusiva.

 

Se você chegou até aqui muito bom, está no caminho certo mas precisa de um professor, estamos aqui para a sua aprovação imediataDeixe o seu Whatsapp = DDD + número

 

Gabarito:

1-c

2-c

3-e

4-e

5-e

6-c

7-c

8-e

9-d

10-c

11-b

12-e

13-a

14-d

15-a

16-a

17-d

18-e

19-d

20-c

 

 

 

 

Apostila sobre Educação Inclusiva clique aqui

 

 

pinit fg en rect red 28 - 20 questões sobre Educação Inclusiva

Por favor, deixe aqui o seu comentário